Um homem com um maço de cigarros nas mãos

De WESLEY PERES.

Um homem com um maço de cigarros nas mãos. Vazio, o maço e não o homem. O homem está desesperado. Não porque o maço está vazio, mas por tê-lo esvaziado.

O homem se chama José Eustáquio e, após ter nascido e recebido este nome, imaginava que as maiores desgraças de sua vida estavam relegadas ao passado. Agora, ou melhor, desde algum tempo, gira em torno da (e não sobre a) idéia de que terá câncer. E o que o desespera é que, nessa idéia com ele em torno, ele terá daqueles cânceres que deterioram o organismo de modo meândrico, meticuloso, transcorrendo com a lentidão exclusiva dos infernos. O inferno é um lugar onde tudo acontece lentamente. José pensa nisso, e isso, por vezes, é o mais distante que consegue da idéia de que terá câncer.

Depois da final da Copa de 1994, José Eustáquio ficou uns dois meses sendo pensado pela imagem da bola por cima da trave, chutada por Baggio. Sim, a imagem o pensava, ou, a imagem pensava nele, usando-o. Uma repetição que se interrompia e se retomava muitas vezes durante os dias. E o que mais o irritava nisso tudo era o rabinho de cavalo búdico na cabeça do senhor Roberto Baggio.

Agora, no entanto, somente sendo pensado por outra coisa que se repete nele: terei câncer, terei câncer. Por isso o desespero diante do maço vazio de Free Box azul. Como os planetas em torno do sol, Eustáquio em torno do câncer que terá.

Fez todos os exames. Fez todos os exames de 3 em 3 meses. Foi chamado de hipocondríaco. Foi chamado de hipocondríaco, pela namorada, n vezes. Ela não entendia. O câncer está aí, só que ausente, conforme atestam os exames.

Ela não entende isso.

Trocou de namorada. Depois destrocou. Ela tem um formato de bunda que é o caralho, pensa. Pensa e ri da imagem absurda, uma bunda-caralho. Ri e pensa que está mesmo mal. Está mesmo mal para pensar coisas tão absurdas. E elucubrar sobre elas. Está mesmo mal um cara que pensa a palavra elucubrar. Está mesmo mal um cara que põe a palavra elucubrar em seus pensamentos logo depois da imagem-bunda-caralho. E que se põe a pensar nisso.

Bate com as mãos, simultaneamente, na cabeça, como que pra desmanchar todas aquelas formações mentais entre a idiotia e… a idiotia. Além do câncer futuro, ficando idiota. Seu nome idiota. José Eustáquio. Esse tipo de coisa não se faz com uma pessoa, só com filhos. Sente ódio do pai, o idiota que quis homenagear o bisavô. O bisavô dele, José Eustáquio, se chamava Eustáquio José. Foda isso, inserido numa tradição de idiotas. Não escolheu tal inserção, o que não o torna um milímetro menos fodido, menos absurdo do que a imagem-bunda-caralho.

É um homem metódico. Trai a namorada 3 vezes ao mês e fuma 27 maços de cigarro ao mês. Chegou mesmo a pensar que não a ama, que o que importa é o sistema, a regularidade de uma namorada traída 3 vezes ao mês. Certa vez, traiu quatro vezes, tendo a quarta traição ocorrido num 26 de fevereiro. Não era ano bissexto e, assim, sua fórmula para correção da quebra do sistema se tornou aflição. Teria de comer mais 2 mulheres (traição pra ele, só se ele comer a mulher) antes de o mês acabar, inteirando 6, número múltiplo de 3.

Vai ter câncer de qualquer jeito. Fuma pra diminuir a angústia. Trepa com a namorada portadora da bunda com um formato do caralho pra diminuir a angústia. Mas quanto mais fuma e trepa, mais fuma e quer trepar. Com ela. A namorada com quem ele desterminou e que o enlouquece. A namorada que o enlouquece, na cama e fora dela. Na cama, ele a fode. Fora da cama, ela o fode.

O homem está com o maço vazio de cigarros. Está desesperado. O medo do câncer, o cigarro e as trepadas. Essas coisas o mantém vivo, foi o que disse o psicólogo reich-adleriano com tendências gestálticas:

— A merda toda é que eu acreditei nessa merda toda que ele me disse.

— O quê? — perguntou, olhando para ele, a moça a sua frente na fila do banco.

Eustáquio deixou a namorada da bunda do caralho e agora não namora, mas trepa três vezes por dia com a moça da fila do banco. Ela entende perfeitamente seu câncer que está lá, ausente, invisivelmente mastigando-o. Aliás, José Eustáquio se apaixonou por ela no exato instante que ela, Free Box azul entrededos, lhe disse:

— A essência humana é isso, há um câncer invisível mastigando todos nós.

Bem, é evidente que os peitos dela num formato inacreditável e a pinta ao lado do umbigo contribuíram razoavelmente.

.


%d blogueiros gostam disto: