Fletcher

De DANIELA MENDES.

Culpa dela! Só dela! Uma mulher bêbada numa festa, uma mulher bêbada e sem homem numa festa, só pode ter culpa. Culpa dela. Vai ver que é culpa dela também a esposa dele estar gorda e achar que beleza não é coisa para ser cultivada no cabelo e no gesto. Culpa dela todas as mulheres casadas esquecerem com o casamento que ser feminino é se divertir, é um tipo de vadiagem, é um risco constante, um desejo sem alvo, angustiantemente sem motivo algum de existir. Culpa dela que ele lhe roubou um beijo e culpa dela gostar dos elogios que ele fez. Que situação! Sentia-se mal por estar sozinha, por não ter homem. Não! Ele era feio, nem interessava. Culpa dela não ter o homem dos seus sonhos. Culpa de ela ter espantado Cezar de sua vida. Se estivesse sã resistiria, riria na cara dele. Mas todo mundo estava se embriagando. Mulher solteira não pode. Culpa dela então. Vai dizer que não conhecia as regras? Bom, não conhecia. Então culpa dela não conhecer. Estava horrível por se sentir tão bonita, forte e embriagada.

Abriu a porta com dificuldade. Acendeu a luz. Mas… O que…? O que era aquele tanto de pena na sua sala? FLETCHER! Gritou pelo felino que dividia o apartamento com ela. Uma pomba! Uma pomba com uma anomalia no bico morta no meio da sala! Quedou-se de joelhos para observar a cena mais de perto, mas ainda sem se aproximar. Que droga ter que limpar aquilo tudo. Fletcher… Chamou baixinho enquanto pensava na crueldade do bichano que ela tanto amava. Que absurdo! Que maldade desmedida! Repugnou-o por um instante, o pequeno instante em que ele apareceu se esticando todo. Sonolento, colocando as patinhas e as belas unhas na comissão de frente. “Miau”. O sádico parece que sorria ou lhe pedia leite ou lhe perguntava indiferente como fora a festa. Ficaram se olhando por um bom tempo. Até que ela lhe perguntou: “Se não foi para comer por que você a matou, Fletcher?”. Majestoso, o amigo lambeu a patinha gorda e virou as costas para ela sem nenhuma explicação e sumiu na escuridão do resto da casa.

Ela então se levantou e foi pegar uma vassoura e uma pá. Enquanto limpava, pensava onde será que estaria o grande livro da sabedoria dos gatos?

.


%d blogueiros gostam disto: