Conselheiro

Daniela dos Santos

Meninos brincavam na rua quando viram um coco rachado.

Meninos correram ao ver o coco. Uns correram pra ele, curiosos, sedentos de ver e de sangue, vomitado depois de beber em histórias pra contar e coisas rançosas que ficam presas na cabeça pra sempre. Outros correram dele, temerosos de se impressionarem demais, de reconhecerem o rosto no coco rachado, de vomitarem, ali mesmo, na rua, o lanchinho que a mamãe preparou e todas as outras coisas rançosas já presas pra sempre na cabeça.

O coco, ao ver os meninos, pensou e correr também, mas se lembrou de seu dever moral de mais experiente e tentou dizer às crianças que abandonassem logo esse mundo, que a cabeça racha de prender muito ranço.


%d blogueiros gostam disto: